Ir para conteúdo

Litoral Norte

De Água de Madeiros à Falca, temos a costa Norte de Alcobaça com cerca de 11km. Existem alguns aglomerados populacionais, como Paredes da Vitória, Água de Madeiros e Pedra do Ouro mas, grande parte desta região não é habitada nem tem acessos à praia. Aqui há algumas zonas rochosas mas, a costa é essencialmente arenosa. Há arribas de cor cinza (margas), de cor avermelhada (argilas) e de cor amarela (areias e arenitos) e assim, consoante o solo, as plantas também vão mudando. Quando a água é escassa e o solo pobre e solto, a diversidade de plantas é pouca e a biomassa também: quer isto dizer que há poucas espécies e poucos indivíduos de cada espécie.

Em todo o litoral Norte, as arribas estavam cobertas de pinheiro-bravo, com matos de camarinhas, tojo, urzes e zimbros. Esse pinhal, contínuo e cheio de vida, está agora presente em poucos km e foi substituído por muitas acácias-das-espigas e por chorão ou balsamo das areias. Esta duas espécies são exóticas, isto é, vieram de outros países para Portugal. São muito resistentes e cheias de estratégias de sucesso e assim, têm ocupado grande parte do pinhal litoral. É proibido introduzir estas duas espécies em Portugal desde 1995. Para esta diminuição da área de pinhal litoral também contribuíram os fogos. Ora, o coelho-bravo, a perdiz e a raposa, perderam grande parte do seu habitat (casa) e já são pouco comuns na região. As camarinhas, uma espécie emblemática do litoral português, também já são raras nesta região. O fruto é comestível.


Entre Paredes e Polvoeira, para fins de lazer e considerando a paisagem magnífica, foi instalado um passadiço de madeira em 2008. O passadiço foi instalado nas zonas onde havia muitas acácias e, face ao seu avanço no topo da arriba: assim, removeram-se muitas árvores e a pouca vegetação típica da região, ainda presente, pode desenvolver-se um pouco mais. Esta foi uma conjugação de esforços entre a Biologia e a Arquitetura Paisagista.


Nas praias, as dunas quase não existem, pois, o nível do mar tem subido e as tempestades de Inverno movimentam muitas toneladas de areia da base das arribas. Vão-se observando dunas embrionárias em alguns locais (Légua, Falca, Paredes da Vitória) mas dificilmente vão persistir, até porque as pessoas as pisam e sujam facilmente.

Toda esta zona litoral Norte é um laboratório vivo de Biologia o que significa que por lá se pode aprender muito com a Natureza. Por exemplo, na praia da Polvoeira, existem calcários muito antigos que, em maré vazia formam poças de maré com muito interesse. Aliás, esta praia chama-se Polvoeira porque um dos animais mais abundantes neste fundo marinho rochoso era o polvo.


Sugestão: para te envolveres no conhecimento do Litoral Norte do concelho, organiza um dia de campo com a tua turma. Fotografa plantas e animais e recolhe folhas do chão. Depois reúne todo o material para um estudo posterior na sala de aula ou até para uma pequena exposição. Alternativamente, isto é, se ficares na escola, procura informação sobre a acácia-das-espigas e sobre o chorão: faz o bilhete de identidade destas duas espécies exóticas e afixa esta informação na escola para que, a comunidade as conheça e saiba que não podem ser introduzidas.

Texto de Sofia Quaresma.